Carregando..
Rede Cidadã: mais de 95.433 pessoas inseridas no mundo do trabalho. Certificada Cebas.
Rede Cidadã Rede Cidadã 18 anos, Brasil, Argentina, Colômbia, Peru, México, EUA

Rede Cidadã - Educação é aposta para combater o assédio sexual nas ruas

_ Clipping

Educação é aposta para combater o assédio sexual nas ruas

08 out 2021
O GLOBO lança ambiente com reportagens e conteúdos de apoio a mulheres vítimas e testemunhas da violência, em projeto com L'Oréal Paris
Educação é aposta para combater o assédio sexual nas ruas

RIO – Há 12 anos como embaixadora da marca L’Oréal Paris, a atriz Taís Araújo já falou do orgulho a seus cachos, dos cuidados com sua pele, de autoestima e da beleza na diversidade da mulher brasileira. Hoje, no dia de lançamento no Brasil da plataforma StandUp, promovida globalmente pela marca, ela volta como voz e rosto em uma série de ações e peças publicitárias para abordar uma preocupação que acomete boa parte da população feminina: o assédio sexual nas ruas. “86% das mulheres já passaram por assédio sexual em espaços públicos, como um comentário sugestivo, um toque sexualmente explícito, um gesto inadequado ou sendo seguidas. Nós vemos isso acontecer, mas ficamos em silêncio e desviamos nosso olhar. Talvez por não sabermos o que fazer, como ajudar ou como combater a situação”, diz Taís, em um vídeo-manifesto lançado junto com o início da campanha no país.

Em pesquisa encomendada pela L’Oréal Paris ao Instituto Ipsos sobre assédio sexual, realizada em 15 países com mais de 15 mil mulheres entre janeiro e março de 2021, a importunação sofrida nas ruas foi a preocupação mais citada entre as entrevistadas, com 47% delas apontando tal receio.

No vídeo, Taís Araújo completa que “todo mundo pode ser parte da solução” do problema do assédio nas ruas. E é neste contexto de formação e informação do público a respeito de como agir, tanto na condição de vítima quanto de espectador de episódios de importunação sexual, que, também nesta terça-feira, a L’Oréal Paris lança, em parceria com o Grupo Globo (incluindo, além do GLOBO, as marcas Marie Claire, Vogue, Glamour e GQ), uma ação voltada à divulgação de conteúdos educativos e de orientação para combater o assédio.

— É um imenso orgulho advogar para essa empresa que preza pelo valor das mulheres, trazendo iniciativas como essa. Toda transformação passa por uma mudança de consciência, com diálogo e informações que são fundamentais neste processo, que inclui os homens também — diz Taís.

Ambiente exclusivo sobre o tema

Ao longo de três meses, até 31 de dezembro, uma série de reportagens e entrevistas, abertas ao público assinante e não assinante do GLOBO, serão publicadas em um ambiente virtual dedicado ao tema.

Vozes de líderes de ONGs e movimentos sociais ativistas na luta em favor do empoderamento feminino e contra a violência sexual se somarão às de vítimas e outras personagens atuantes na divulgação e conscientização em relação ao problema.

— Há 50 anos, a L’Oréal Paris adota como assinatura de marca a frase “Porque você vale muito”. A valorização da mulher e seu empoderamento pela beleza e a autoestima sempre foram missão nossa. Evoluímos e, desde o início de 2021, nos lançamos não apenas como uma marca feminina, mas também feminista, entendendo nosso papel na batalha pela equidade de gêneros no país — diz Laura Parkinson, diretora da L’Oréal Paris no Brasil.

Treinamento virtual

Para levar a cabo seu projeto de “Transformação através da educação” sobre assédio e importunação sexual, a L’Oréal Paris se associou, no Brasil, a ONGs atuantes em questões femininas, como a Think Olga, que age na sensibilização da sociedade para questões de gênero, além da promoção de instrumentos e agentes de mudança na vida de mulheres; a Cruzando Histórias, organização social que acolhe e conecta mulheres ao mercado de trabalho; a Rede Cidadã, entidade que desenvolve programas e projetos de assistência social a diferentes grupos; e a Promundo, ONG que atua no Brasil e em outros países para promover a igualdade de gênero e a prevenção da violência envolvendo homens e mulheres.

Como agir:‘Sofri importunação sexual, e agora?’

A L’Oréal Paris também se associou, mundialmente, à ONG americana Hollaback!, que criou uma metodologia de intervenção que se mostrou eficaz quando aplicada em um experimento nas universidades americanas, diminuindo em 17% os casos de violência sexual no local.

O programa, que ganhará uma versão em português para o público brasileiro, oferece uma ferramenta de treinamento virtual, com orientações de procedimentos a vítimas e testemunhas de assédio.

— Nossa missão no mundo é a de treinar 1 milhão de pessoas, entre parceiros e público em geral. Entendemos que a educação tem um poder transformador e que é papel de todos, mulheres, homens, sociedade e empresas, agirmos na solução deste problema — conclui Helena Bertho, Head de Comunicação, Diversidade & Sustentabilidade da L’Oréal Paris no Brasil.