Carregando..
Rede Cidadã: mais de 98.572 pessoas inseridas no mundo do trabalho. Certificada Cebas.
Rede Cidadã Rede Cidadã 19 anos, Brasil, Argentina, Colômbia, Peru, México, EUA

Rede Cidadã - A Rede Cidadã

_ Releases

A Rede Cidadã

23 set 2021
Saiba quem somos e o que fazemos.
A Rede Cidadã

A ONG Rede Cidadã é uma entidade de assistência  social sem fins lucrativos especializada na geração de trabalho e renda, principalmente para pessoas em situação de vulnerabilidade social. Fundada em 2002, a organização desenvolve programas e projetos no Brasil e no exterior em parceria com os setores público e privado, totalizando cerca de 100 mil contratações em quase 20 anos de atuação. Hoje, o trabalho desempenhado pela Rede Cidadã é reconhecido pelo Prêmio Melhores ONGs” (1º lugar na categoria Assistência Social), do Instituto Doar, e a organização ainda ocupa o 11º lugar no ranking Great Place to Work (GPTW) das melhores empresas para se trabalhar, categoria Terceiro Setor, além do 88º lugar entre as 200 melhores ONGs do mundo, pelo NGO Advisor.

Com sede em Minas Gerais, atualmente a Rede Cidadã reúne quase 5 mil instituições parceiras e atende público e empresas em 50 territórios, distribuídos em seis estados brasileiros – Minas Gerais, Bahia, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo, e está presente em seis países, sendo Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México e Estados Unidos. “Somos uma das primeiras organizações a investir no trabalho social em rede. Reunimos sociedade civil, empresas, órgãos públicos, organizações sociais e voluntários para trazer soluções em geração de trabalho e renda”, contextualiza o Diretor Executivo e fundador da ONG, Fernando Alves.

Atualmente existem mais de dez programas em andamento, todos concebidos, estruturados, executados e monitorados pela Rede Cidadã e financiados pelas organizações parceiras. As iniciativas mais demandadas pelas instituições são os programas de Socioaprendizagem, direcionado a jovens aprendizes, e o programa de Estágio, voltado para estudantes de nível superior, ambos em atendimento a leis federais de apoio ao primeiro emprego. A ONG ainda forma e emprega idosos, egressos do sistema prisional, pessoas em situação de rua, jovens que cumprem medidas socioeducativas e pessoas com deficiência, entre outros públicos. “Tudo o que pensamos que pode favorecer a inserção e a permanência de pessoas em situação de vulnerabilidade social no mercado de trabalho, a gente oferece”, sintetiza a gerente de Operações da Rede Cidadã, Keure Oliveira.

O desenvolvimento de novos projetos está intimamente ligado às oportunidades conforme disponibilidade de recursos captados e podem durar de um a três anos. Entre as principais motivações para a abertura de novas unidades e/ou início de novas iniciativas estão, respectivamente, o pedido de empresas e órgãos públicos, alguma decisão estratégica da própria ONG e a necessidade de adequação de empresas de determinada região à legislação trabalhista. Fernando Alves, idealizador da Rede Cidadã, chama a atenção para a participação do empresariado no fortalecimento das políticas inclusivas. “Questões sociais são dotadas de uma complexidade de fatores que o governo não pode resolver sozinho. É um assunto de todos nós e precisamos assumir isso para a construção de um país mais justo e democrático”, alerta.

Com o mote “Vida e trabalho, um só valor”, a ONG Rede Cidadã se diferencia pelo investimento na formação socioemocional dos beneficiários e de suas famílias, garantindo qualificação profissional e formação humana para o desenvolvimento de valores que vão acompanhar o indivíduo em toda sua jornada. “As empresas contratam por competência e demitem por comportamento. O maior obstáculo das pessoas na vida e no trabalho é não saber lidar com suas emoções, independentemente da classe social. Estamos antenados nisso e hoje investimos fortemente no que chamamos de Trilha de Desenvolvimento do Usuário e da Família”, conta Fernando Alves.

A Trilha ocorre em quatro fases, sendo (1) Identificação e sensibilização, (2) Capacitação inicial e elaboração de um Plano de Desenvolvimento Individual, (3) Desenvolvimento de habilidades, com foco na aprendizagem prática de acordo com especificações de cada programa/projeto e (4) Monitoramento de percurso, que visa à contratação e à formação continuada. “O principal objetivo é viabilizar convivência, apoio e monitoramento dos públicos atendidos pela Rede Cidadã capazes de resgatar vínculos familiares e apoiar também membros das famílias, criando um ambiente de suporte a todos na inclusão social ao mundo do trabalho”, reforça o fundador da ONG e idealizador do programa.

Representatividade social

Além do desenvolvimento e da execução de programas e projetos para formação e geração de trabalho e renda, a Rede Cidadã conta com representantes em conselhos e associações em todo o país para fomento de políticas públicas que estimulem o ingresso de pessoas em vulnerabilidade social no mundo do trabalho. Atualmente, a ONG integra o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), biênio 2021-2022, bem como dezenas de conselhos e associações municipais pelo país.

Rede Cidadã e a pandemia

O isolamento social imposto em 2020 pela pandemia por coronavírus forçou empresas, órgãos públicos e a sociedade em geral a readaptar a rotina de trabalho e na Rede Cidadã não foi diferente. A ONG adequou o conteúdo teórico do seu programa de socioaprendizagem para o modelo à distância, implementou plataforma própria de ensino-aprendizagem e articulou parcerias para apoiar seus beneficiários com o mínimo de estrutura necessária para o ensino remoto. Hoje, 90% dos programas são executados e monitorados por meios digitais.

A Rede Cidadã também concentrou esforços em negociar a manutenção dos contratos de jovens aprendizes entre 14 e 24 anos que, assim como pessoas em regime de trabalho CLT, foram impactados com o alto índice de demissões. A ONG comemora a manutenção de 6.808 aprendizes com contratos ativos até o 1º semestre de 2021, em 1.099 organizações parceiras.

REDE CIDADÃ EM NÚMEROS

  • Quase 20 anos de atuação na formação e geração de trabalho e renda
  • Cerca de 100.000 contratações desde sua fundação, em 2002
  • Quase 5 mil parceiras, entre instituições públicas e privadas
  • Presença em 50 cidades, em seis estados brasileiros | RS, MG, BA, CE, PE, RJ e SP
  • Metodologia presente em seis países | Brasil, Chile, Colômbia, Estados Unidos e México
  • Mais de 350 colaboradores e colaboradoras
  • 11º lugar no ranking Great Place to Work (GPTW) das melhores empresas para se trabalhar, categoria Terceiro Setor
  • 88º lugar entre as melhores ONGs do mundo, pela NGO Advisor
  • 10 programas em andamento
  • 30% da carga horária do programa de socioaprendizagem é cumprida na Rede Cidadã, com formação teórica, e o restante nas empresas parceiras, colocando o aprendizado na prática.
  • Representação em um conselho nacional e dezenas de conselhos e associações municipais
  • Mais de 55 mil aprendizes contratados
  • Mais de 35 mil jovens e adultos contratados
  • Mais de 2.500 pessoas com deficiência contratadas
  • Mais de 2 mil pessoas em situação de rua contratadas
  • Mais de 200 seniores contratados
  • Mais de 1.500 empreendimentos apoiados
  • Mais de 2.500 voluntários mobilizados

 

FALA, REDE CIDADÃ

  • Questões sociais são dotadas de uma complexidade de fatores que o governo não pode resolver sozinho. É um assunto de todos nós.
  • Trabalhamos para responder, criar e influenciar políticas públicas em âmbito local, regional e nacional.
  • O maior obstáculo das pessoas na vida e no trabalho é não saber lidar com suas emoções, independentemente da classe social. Formação técnica várias instituições oferecem, mas a formação emocional é pouco trabalhada.

Impacto da revolução digital: a onda de desemprego será acelerada no pós-pandemia por conta da automação. Só vamos conseguir atravessar isso com humanização. Precisamos humanizar o humano e preparar empresas para serem inclusivas, estimulando as cidades a serem pontos de apoio.

 

RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA

Árvore: (31) 3194-8700 – laura.lima@arvore.cc